Voltar

Tosse: aprenda a distinguir as causas

A tosse é uma resposta fisiológica do organismo que tem diferentes causas. Diagnosticar corretamente o que a provoca é essencial para um tratamento adequado. Neste artigo, aprenda a identificar o seu tipo de tosse.

 

 

A tosse constitui uma resposta fisiológica do organismo que resulta de irritação das vias áreas e que funciona como uma contração espasmódica, repentina e normalmente repetitiva da cavidade torácica. A tosse resulta de uma libertação violenta de ar dos pulmões e visa expelir elementos nocivos como poeiras, bactérias, vírus, fungos e outras substâncias irritativas.

 

Duração e natureza

 

A tosse caracteriza-se de acordo com a sua duração (aguda ou crónica) e com a sua natureza (produtiva ou seca).

Enquanto a tosse aguda aparece de forma repentina e desaparece em dias ou semanas (normalmente associada a infeções respiratórias agudas, como gripes ou contipações ), a tosse crónica prolonga-se no tempo e pode estar relacionada com múltiplas causas.

 

Tosse seca versus tosse produtiva

 

A tosse seca – sem secreções – é um tosse irritativa que constitui uma resposta a estímulos que irrita a faringe, a laringe e as vias respiratórias superiores.

Pelo contrário, a tosse produtiva produz secreções, que merecem atenção. Por exemplo, a expetoração amarelo-esverdeada é um sinal de infeção nas vias respiratórias, enquanto a expetoração sanguinolenta pode ser um sinal de infeção pulmonar. Uma tosse produtiva que dure mais do que duas semanas, exige atenção e deve ser investigada.

 

O que causa a tosse?

 

A tosse tem causas variadas. Pode resultar de uma infeção respiratória como a gripe ou constipação, pode ser sintoma de alergia ou asma, de irritação provocada por factores externos (poluição, fumo de tabaco), de doença pulmonar obstrutiva crónica ou de refluxo gastroesofágico (uma condição em que os ácidos gástricos sobem pelo esófago, podendo irritar o trato respiratório).

A tosse pode ser também provocada por insuficiência cardíaca. O mau funcionamento cardíaco pode dar origem a um edema pulmonar. Neste contexto pode ser acompanhada de secreções rosadas e espumosas, assim como de pieira. Por norma, a tosse agrava-se à noite, principalmente quando se deita. Nestes casos, é aconselhável dormir recostado em várias almofadas.

 

Saber ouvir a tosse

 

Os sons que a tosse produz variam de acordo com as suas causas:

Farfalheira - Quando as secreções se acumulam na garganta ou nos brônquios, a passagem do ar produz um som específico. A tosse com farfalheira tende a piorar à noite (quando o indivíduo se deita, as secreções escorrem do nariz para a garganta e a tosse surge na tentativa de as remover).

Pieira - Quando os brônquios se encontram preenchidos por secreções, o seu calibre (lúmen) fica diminuído, o que provoca uma resistência à passagem do ar, nos movimentos de expiração. A passagem do ar através desta resistência produz um som tipo “assobio”, que normalmente indica um problema na parte brônquica.

Estridor - É um som grave e rouco que se ouve durante os movimentos de inspiração e que resulta da inflamação da laringe e/ou traqueia. Tipicamente a inflamação provoca edema, dificultando a entrada do ar.

 

Tratamento

 

O tratamento depende das causas, contudo alguns procedimentos ajudam a acalmar a tosse:

  • Aumentar a ingestão de líquidos ajuda a serenar a irritação e a fluidificar as secções.
  • Fazer nubelizações através da utilização de aparelhos de aerossóis, humedece as vias respiratórias e solta as secreções.
  • Nos casos mais simples, as pastilhas para a tosse podem aliviar a irritação.
  • Os xaropes devem ser utilizados de forma cuidadosa e adequada. Existem dois tipos de xarope : Antitússicos (inibiem a tosse irritativa) e Mucolíticos  (fluidificam as secreções).
  • Os xaropes apenas devem ser administrados caso a tosse persista e sob vigilância médica. O uso inadequado de um xarope pode acarretar consequências graves.
  • Os xaropes caseiros, como o xarope de cenoura, de gengibre ou o de mel e limão, podem aliviar a tosse.

Não constituindo uma doença, a tosse é um sintoma que, na maioria das vezes desaparece em pouco tempo. O diagnóstico correto da causa é, por si só, a base para o tratamento. É preciso não esquecer que a tosse persistente merece cuidado e atenção redobrada.

 

Conteúdo cedido pela AdvanceCare.

Alguns dos nossos Hospitais e Clínicas

Log in | Registo

Ligue-se através do facebook para aceder ao seu perfil no Plano de Saúde Well’s.

O nosso website utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de cookies. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.